Apelo de Lula é visto como interferência por iranianos

O establishment conservador do Irã parece ter reagido friamente a um apelo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para permitir que a iraniana Sakineh Ashtiani, acusada de adultério em seu país, obtenha asilo no Brasil e não seja morta por apedrejamento. Embora nenhuma autoridade iraniana tenha comentado a oferta brasileira, a Jahan News, serviço de notícias ultraconservador do Irã, considerada uma agência que reflete fielmente o pensamento do governo, informou, no domingo, que o apelo de Lula era uma “clara interferência nos assuntos domésticos do Irã”. Ainda segundo a agência, a oferta brasileira foi feita “sob influência da mídia estrangeira”.

A reação ao apelo feito no fim de semana pelo presidente Lula pode criar uma distensão na relação cada vez mais cordial entre Irã e Brasil. O caso pode também reforçar o que os críticos do regime iraniano encaram como uma forma primitiva de justiça, particularmente repulsiva quando se trata de mulheres. Sakineh, de 43 anos, pode não ser apedrejada porque o Judiciário iraniano ainda está examinando a sentença proferida por um tribunal de primeira instância. De acordo com a Jahan News, em vez disso, ela seria enforcada.

Sakineh foi acusada de ter uma “relação ilícita” com dois homens. Ela negou as acusações. O caso da iraniana chamou a atenção do mundo para a reputação do Irã com relação aos direitos humanos. O país é um dos poucos que aplicam a pena capital para casos de adultério.

No início, Lula havia rejeitado os pedidos de grupos de defesa dos direitos humanos para usar sua influência com o Irã e tentar impedir a execução de Sakineh. No entanto, ele mudou de ideia no fim de semana, durante uma viagem de campanha ao lado de sua candidata, Dilma Rousseff. “Se minha amizade e afeição pelo presidente do Irã são importantes e se essa mulher está causando problemas lá, nós a acolheremos aqui no Brasil”, disse. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Em A TARDE

—————————————————————————————————————————————————

A pressão internacional livrou a iraniana Sakineh Ashtiani do apedrejamento, mas ela ainda poderá ser enforcada. O Irã quer recusar a oferta de asilo oferecida pelo Presidente Lula, mas se ele se comprometer a negociar com o Irã, ele poderá salvar a vida de Sakineh — envie uma mensagem para o Lula peça para ele não desistir até que a Sakineh seja salva:

Envie uma mensagem agora!

Anúncios

4 respostas em “Apelo de Lula é visto como interferência por iranianos

  1. Que barbaridade!

    Aqui nós também cultivamos nossas barbáries: matriculamos nossas crianças e adolescentes na escola pública e as condenamos a viverem na plenitude da ignorância.

  2. Como os nossos representantes eleitos democraticamente não desenvolvem políticas públicas em nosso favor, vamos aplicá-los políticas privadas recém chegadas do Irã:

    Jaques Wagner = 99 chibatadas + 48 pedradas.
    Collor = 587 picadas de jararaca + 781 pedradas.
    Sarney = 02 banhos de azeite de dendê a 300ºC + 621 chicotadas no lombo.
    ACM Neto = 400 beliscões com alicate universal na ponta da língua + 453 pedradas.
    Dentre outros…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s